segunda-feira, março 12, 2007

Era uma vez um …
Manifesto Anti IADE
(vais fazer isso? Até fazia bem pior se me deixassem! lol )


Por onde começar...
Ora, somos os maiores e vamos lá saber porque:

Ser aluno do IADE é ter disciplinas de livre escolha, que suscitam interessantes “unidades curriculares opcionais”, mas...

“Eu fui avisado que ia dar esta cadeira a semana passada (começo das aulas) por isso ainda não fui informado sobre o programa e aguardo informações...”
...algum tempo depois
“Olha, o programa existia, mas não sabem dele, pedi então que procurassem nos registos”


“ Boa Tarde, sou a vossa professora este semestre, o meu mestrado incidiu na investigação do cartaz português e a minha formação é de Design Visual. Mas escrevo imensa coisa sobre Ambientes e estou neste momento a fazer Ambientes...
... os Ambientes, tal como a moda seguem tendências das quais vocês tem de estar a par, é importantíssimo perceber isso! Próxima aula trago-vos catálogos de tecidos...”
STOP, Catálogos de tecidos!?!?!

Como me empenho bastante e como já disse escrevo bastante sobre Design de Ambientes o IADE entendeu que eu iria dar esta disciplina. Sou pau para toda a obra, nesta casa!
Mas não se preocupem que tenho informação que vou estruturar e pesquisar, os de visual lucrariam muito mais devido á minha formação, mas... “

_Unidade Curricular Opcional: Design e Espaço de Interiores, Nºde créditos:4
Retirado do Horário!
Motivo (ou 1ª desculpa dada): Insuficiente nº de alunos inscritos
- Somos mais de 10 alunos interessados, como é que é possível?

-Escrevam uma carta ao meu cuidado, a apresentar a reclamação seguido das assinaturas dos alunos interessados

…depois da carta escrita as assinaturas eram 14 , carta entregue:
-Não há professor para dar essa cadeira
-São só 9 alunos assinaram a carta
-Essa cadeira já existe, no 2º ano, mas já está cheia

Depois das desculpas esfarrapadas a cadeira lá foi aberta novamente, com a professora que a propôs a dar a aula! Desta vez deram-nos ouvidos, mas tínhamos o coordenador da disciplina a fazer pressão.



Os alunos de Ambientes parecem não existir, pelos menos é á triste conclusão a que chegamos. Faltam-nos alguns meios, disciplinas leccionadas com deve ser, e com conteúdo, mas prontos temos um bom nome na praça publica e quando se fala de um aluno do IADE, upa upa, somos o melhor.

Será que estou a exagerar?, hum... temo que não :(

8 comentários:

mAUVEST disse...

desculpa la mas..... bom nome na praça publica? um aluno do IADE? estas mutio enganada, desculpa desiludir-te... mas estas.,...

chloe disse...

Não, n estou enganada, o bom nome ainda reina por ai. :)

umbíguo disse...

De facto, os episódios que aqui relatas só poderiam vir de uma instituição como o nosso querido IADE. O seu nome na "praça pública" penso estar a 50/50. Há quem já tenha admitido, em entrevistas, que não quer trabalhar com alunos que vêm do IADE, como há os que ainda acreditam que dessa escola saem profissionais preparados. Esta visão tende, sem dúvida, a piorar...Enfim, eterna conversa, que daria pano para mangas. Da experiência que tive, o iade pouco me ensinou a nível prático, acho que é essa uma das grandes falhas. Tive excelentes professores, como outros sem qualquer tipo de pedagogia...tive professores formados em artes plásticas colocados a dar design visual, disciplina principal, onde cheguei a ter 3 professores no mesmo ano lectivo. Fantástico.

Enfim. Achei muita piada à parte do..."Próxima aula trago-vos catálogos de tecidos...”
STOP, Catálogos de tecidos!?!?!"

Vejo que continua tudo na mesma...

Entretanto, good luck ;)

beijinho*

umbíguo disse...

posso linkar-te?

bluejohn disse...

Não sei se é bom nome, talvez mais o que resta dele. Acho que no iade cada um faz-se a si próprio, temos que batalhar muito por nós, pelo nosso trabalho.

ps1: Concordando com o umbíguo.

ps2: Em relação aos "Catálogos de tecidos" dou 1 pontinho à tal professora, visto que hoje em dia as áreas do design não se podem discernir umas das outras, tudo pode interferir na nossa criatividade, só depende da predisposição criativa que em cada um há.

E mais n digo :)

cat disse...

"temos um bom nome na praça publica e quando se fala de um aluno do IADE, upa upa, somos o melhor."
NA NA NA......Arquitectura de Design ...isso sim!é que é do melhor ahahahah!!! =P Bj*

Ana Sofia Santos disse...

eu ja n digo nd...muitas chatices este ano. dás quais me revoltei e chorei baba e ranho....esta quase moça :P

Nicole disse...

Sabem a sensação "dejá vu"?! Pois bem, ao ler o teu relato tive UM gigantesco!!!
Mas o IADE é mesmo assim, uma sucessão de mal entendidos e poucos resolvidos que nunca disso irão passar. Aliás, acabarás o curso exactamente com essa sensação: que não sabes bem como, mas o curso já acabou, e não percebes bem porquê mas parece-te que pouco aprendeste... What the hell?!

Pois é, minha cara Chloe, acho que o bom nome do IADE é realmente uma ilusão, aliás, uma desilusão. O nome, de facto, existe, é conhecido e reconhecido, aliás para a maioria, se é designer deve ser do IADE! Agora, isso não significa que seja entendido como algo de bom.
Quando a nossa amiga úmbigua fala de gente a quem já foi rejeitado trabalho por ser do Iade, fala por exemplo de mim, que fui practicamente insultada por esse "pequeno" pormenor do CV.
Podes até pensar que é um disparate, mas na prática, para um empregador, receber um recém-licenciado que não sabe distinguir entre CMYK e RGB e que não faz puto de ideia do que é arte-finalizar... é desesperante. Para ambos!

Mas sim, o dejá vu é fantástico, sobretudo a parte do “Eu fui avisado que ia dar esta cadeira a semana passada (começo das aulas) por isso ainda não fui informado sobre o programa e aguardo informações...”
...algum tempo depois
“Olha, o programa existia, mas não sabem dele, pedi então que procurassem nos registos”
Tal e qual!!!!!

E a design visual não tivemos a ver catálogos de tecidos, mas uma das nossas profs (uma das 3 do mesmo ano lectivo, que a umbigua descreve) era da 1ª escola do IADE, ou seja, quando o IADE era "Artes Decorativas e Design", sendo que a senhora nos mandava fazer recortes e colages e queria quer fizessemos testes de cores aos logos com guaches, isto porque ela nem num PC sabia mexer, e o quer ela queria mesmo era ir tirar um mestrado em "cor na arquitectura".
E foi.
E deixou-nos 2 meses sem aulas.
Depois veio uma prof. de desenho, que também nunca tinha visto um pc à frente e afirmava que quem não soubesse desenhar bem a carvão, nunca poderia ser um bom designer.
Entretanto correu uma turma inteira a 9 e a turma correu com ela.
E depois veio uma senhora de marketing...
E depois acabou o ano e nós fomos lançados no mercado de trabalho.
E o resto já tu imaginas... ;)

Espero que tenhas melhor sorte, mas, sinceramente ,não esperes muito do IADE. Faz por ti, faz por fora, lê e fala com amigos que já tenham expreriência das coisas. São os melhores professores. Olha e aproveita os amigos e os horários simpáticos.
É o melhor da vida de um estudante do IADE ;)