segunda-feira, maio 05, 2008

. . .

A voz calou-se pouco a pouco…
as palavras afónicas se foram transformando
Fáceis de entender, eram, para quem as quis perceber.

Sons de gargalhadas mudas, tristes são palavras às avessas
…nem mesmo as escritas com amizade sobreviveram.

À frente foram caminhando, frente com frente se uniram novamente, para continuarem a ser entendidas, as palavras…

Tristes e mudas outras ficaram… mas essas ninguém as ouve, ninguém as sente, ninguém as vê…

1 comentário:

raquel disse...

...muito bonito miúda!!!

palavras para quê... Às vezes não servem de nada...

Beijinho grande***


P.S.: xiuuuuu.... ;)